MEU FILHO NÃO VAI FAZER ISSO! Será mesmo?! Mitos que EU derrubei com a maternidade

fotos-blog

Meninas, vocês já devem ter ouvido  ou até mesmo dito algumas dessas frases:

-Ah, se fosse meu filho  não faria isso!

 –    Meu filho nunca vai usar chupeta!

Ou até, -Nunca vou deixar meu  bebê dormir na  minha cama!

São tantas recomendações. Uma lista enorme  de coisas que você NUNCA deve fazer.   E   nós  quando ainda não temos filhos acreditamos que isso seja possível!

A primeira coisa,  que eu me lembro que tive que  engolir foi: Nunca vou dar chupeta para meu filho!!    Oh, tadinha de mim!!         Algumas crianças simplesmente não precisam ou não aceitam a chupeta.  E  isso tem até seu lado bom. Mas outros bebê precisam desse consolo. E a mãe pode  precisar  dessa  ajuda.

Quando você está com seu bebê ” pendurado” no seu peito por horas a fio. Quando seu corpo nem responde mais de tanto cansaço. A chupeta pode te salvar! Foi justamente o que aconteceu comigo. Quando não aguentei mais…e olha que fui persistente! Meu filho mamava de hora em  hora.  Eu estava exausta!

Deletei da minha mente o que eu  havia dito antes: que NUNCA faria isso!Ofereci a chupeta e ele aceitou! Ufa!  Tive um pouco de descanso.  Ele dormiu um pouco melhor. E só pra vocês saberem, tirar a chupeta não foi nenhum bicho de sete cabeças. Com um 1 ano e pouquinho, ele brincando jogou a chupeta fora, eu não comprei outra. Substitui por um brinquedo. Ele  ainda chorou umas 3 noites mas depois  esqueceu. Nessas horas é preciso ser firme. Caso contrário, a criança vai completar 10 anos com a chupeta.

Segundo mito que derrubamos por aqui: Aquele receio que quase  todo casal que tem o primeiro filho  possui: NÃO PODE  deixar o bebê na cama dos pais, senão ele acostuma a dormir na sua cama  e sua vida acaba!!!Pois bem,  descobri na prática que é humanamente impossível, ao menos pra mim, você passar um ano ou até mais tempo, levantando durante a noite, para ir ao quarto ao lado, várias vezes, para amamentar seu bebê, trocar fralda ou simplesmente conferir se ele está respirando. Fiz muito isso!!!

Nessas horas é importante ter bom senso, instinto de auto preservação que seja! Se naquele momento o bebê se sente mais confortável dormindo perto da mãe e se a mãe vai ter uma noite de sono melhor, Porque não?!

Aqui em casa isso nunca foi problema. Pelo contrário, é  uma alegria dormir agarradinho com esses pequenos.  É  apenas uma fase e a medida que  crescem não querem mais saber de dormir com a mamãe. Meu  primeiro filho  dormiu bastante na cama comigo. Até quando  foi necessário. E hoje ele dorme na caminha dele, muito bem, obrigada ! Meu  caçula de   1 ano, está naquela fase dos nascimento dos dentes.. às vezes  fica enjoadinho e  também dorme ora na minha cama,  outras vezes no berço  dele. E  está  dando tudo certo!

  E  o terceiro  mito que  cai depois que os filhos chegam :  As birras que  as crianças fazem !! Quando não temos  filho podemos achar um absurdo aquela criança inconveniente e mal educada !  Como pode , aquela mãe   não tem controle sobre o filho. Ah, se fosse meu filho!!! Já ouvi isso inúmeras vezes em  supermercado ou em shopping center. Quando a criança faz aquele escândalo porque quer um brinquedo ou porque não quer ir embora.  Os pais super  constrangidos  com aquele sorriso amarelo sem saber como agir. E alguns  olhares de reprovação ao redor. Alguns pensam, meu filho nunca vai fazer isso!

 Lembro exatamente  o primeiro chilique que meu filho fez. Se jogou no chão do shopping e se recusou a ir embora. Gritou e chorou! Respirei  bem  fundo, afinal  eu já estava esperando por isso. E  então   disse pra  ele  se levantar ou   eu o deixaria lá mesmo. ( Nessa hora o coração fica apertado, vai que ele quer ficar por lá..rs)  Fingi que não dei muita importância para o show dele  e continuei andando        ( bem devagarzinho)  até ele acreditar que era pra valer.  Bem, dessa vez deu certo! Mas essa foi só  a primeira de muitas birras que ele fez.

Nenhuma mãe ou pai está livre disso.  Uma dica que posso dar:  È  não se importar tanto com as pessoas ao redor. Afinal estamos num árduo trabalho de educar uma criança  e todos devem compreender e apoiar . E  se não apoiam ou entendem, paciência !  Aos pais   cabe  conversar, explicar, repetir um milhão de vezes os motivos, as razões de tudo!!É uma canseira mas vale a pena quando começamos a colher o resultado.

Hoje  na segunda experiência. Tudo fica um pouco mais fácil. Já não me preocupo mais tanto  com essas coisas. Meu caçula   não quis  chupeta de jeito nenhum. Ele dorme na  minha  cama às vezes e isso não é o fim do mundo. E pasmem: Com apenas 1 aninho,  já faz as birras dele.  Grita quando não gosta de alguma coisa, tenta sair do colo para correr atrás do que ele quer.

Por aqui seguimos desmistificando as coisas, simplificando  e construindo as  regras  dentro do que é possível.

Tatiana Santos

Depois da maternidade: Trabalhar fora ou ficar em casa?

flickr2

Muito antes de engravidar eu já pensava em  como ficaria  minha vida profissional  depois da maternidade. Sempre morei longe da minha cidade natal e consequentemente longe de minha  família. Já tinha a  certeza que teria que “dar um tempo” na  minha vida profissional quando meu filho nascesse. Já era esse o plano.

Tudo aconteceu como eu previ. Parei de atuar na minha área profissional,  para me dedicar exclusivamente ao meu primeiro  filho. Mas como sempre, a realidade supera a ficção. E, apesar do imenso amor e prazer que eu senti em cuidar do meu filho. O fato de ficar em casa quase me enlouqueceu. A rotina exaustiva dos cuidados com o bebê, cuidados com a casa, noites intermináveis sem dormir, são um teste de  resistência insuperável. Principalmente no primeiro ano de vida.

Além  dos julgamentos ou as considerações alheias. Porque, atualmente todas as pessoas possuem opinião sobre tudo, apesar de não serem especialistas em nada.  Algumas pessoas pensam  e  outras tem a cara de pau em dizer que  você não faz nada. Afinal cuidar dos filhos e da casa é moleza!! É aquela velha história  “A grama do vizinho é  sempre mais verde”. Mas para mim isso foi irrelevante pois fiz uma escolha consciente e madura. Atualmente trabalho em casa, no home office e fico perto dos meus filhos. Se você está passando por isso agora, esteja pronta para ouvir de tudo! Mas esteja em paz com sua escolha.

Por outro lado, algumas mães não  querem ou não podem, ficar  exclusivamente com seus filhos em casa e por inúmeras razões continuam conciliando vida profissional e maternidade. O que também não é nada fácil! Vejo muitas amigas numa rotina cansativa, levando e buscando os filhos na escola, indo trabalhar fora . Num  um corre-corre pra lá e pra cá, tentando dar conta de tudo. E algumas mães, ficam  com aquela sensação de que não estão dando conta de tudo  ou até  se sentindo culpada por não dar atenção suficiente aos seus filhos.

Enfim, mãe sempre se sente culpada por alguma coisa. Acho que super estimamos nosso papel, às vezes queremos fazer o papel de Deus,  onipotente e onisciente mas vamos descobrindo que não somos. A minha certeza nisso tudo, é que a grande maioria dessas mulheres, estão  se desdobrando para fazer o melhor que podem. Seja  ficando em casa com seus filhos, para tentar educa-los da melhor forma possível. Seja trabalhando fora, para  proporcionar uma vida mais confortável. Em qualquer uma das opções existem perdas e ganhos.

Não existe fórmula infalível para criar filhos seguros, amados e pessoas capazes de fazer boas escolhas. O que existe é o caminho que escolhemos para sermos as melhores mães que podemos ser para nossos filhos.

E  você, também teve que fazer essa escolha ?

Fique à vontade para comentar e contar sua experiência.

Tatiana Santos

Depois que eu pari, nunca mais eu comi!!

 

healthy-breakfast-871287410500r0jeÉ impressionante como não temos ideia do que é ter um filho. Até o dia que temos alta da maternidade e levamos nosso bebê  para casa. Eu já tinha noção de  que não seria fácil. Mas nada como você viver essa experiência transformadora na própria pele.

Eu poderia falar das cólicas do bebê, da amamentação… são tantas emoções! Mas agora quero dividir com vocês a minha vivência em relação a alimentação. Não a alimentação do bebê mas da mãe. Afinal  de contas, mãe também come ou ao menos deveria comer!!

Esses dias estava conversando com uma amiga e não lembro bem qual era o assunto.. Ela então  disse o que tinha almoçado. Foi aí, que me perguntei: E eu? Comi o que hoje? E sinceramente, nem lembrava.

Voltando um  pouco  no tempo, lembrei quando  tive meu primeiro filho e  comecei a introduzir os alimentos sólidos para ele (frutinhas, papinhas e etc). Foi  nesse exato momento, que nunca mais Eu  tive uma refeição onde em me sentei calmamente para comer.

Depois de  nos tornarmos  mães, muita coisa não será  mais como antes. E comer com tranquilidade ou lembrar o que você almoçou é uma delas.

Aqui em casa  a hora do almoço tem sido  uma gincana! Me sinto uma “mãe polvo”  com inúmeros braços,  dando comida para dois filhos  ao mesmo tempo e ainda para mim mesma.Ufa!!

Descobri  um  proverbio português que diz: ” Depois que muitos filhos pari, nunca mais a barriga enchi”. Bem  é isso mesmo, e vejamos o lado bom em tudo isso,  assim vamos mantendo a forma.

Tatiana Santos

Mãe pensa pra caramba!

 

Desde o exato momento em que descobrimos que seremos mãe. Nossa mente é invadida por centenas de questões. Que vão desde: É menino ou menina? Meu bebê será saudável? Vou precisar mudar de apartamento? Como será o quarto do bebê? E daí em diante sua mente nunca mais fará silêncio…

Sempre acreditei que seria necessário um curso preparatório para a maternidade. Mas descobri com o tempo, que nenhuma carga horária conseguiria abranger todos os conteúdos que envolvem essa função. São muitas as perguntas!!

Mãe pensa pra caramba mesmo e tem que pensar. Afinal, são muitas mudanças!! Mudança no corpo, na cabeça e na vida. É muita responsabilidade! E todos esses pensamentos devem fazer parte do processo de amadurecimento dessa mãe que  vai nascer ou já nasceu.

Converse com sua avó, se você ainda tiver, converse com sua mãe, com sua irmã ou amiga  mais próxima. Mãe pensa pra caramba, mesmo!!… Pensa mais não fica em silêncio! Aprenda a  se inspirar nas  experiências alheias de pessoas que você admira. Mãe inspira outra mãe!

Se me permite  dar um conselho, de quem está vivendo intensamente essa maternidade pulsante  com  dois filhos pequenos,  é que damos conta viu! Tudo vai dando  certo ou não..mas vamos resolvendo! E continuamos pensando.

Tatiana Santos

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: